Sincopado: Dinner Party with Lizzy

Uma nomeação para um Grammy é um excelente pretexto para voltar a trabalhos extraordinários de 2020 e poder senti-los como da primeira vez. O EP nomeado para Best Progressive R&B Album,“Dinner Party: Dessert”, de Terrace Martin, Robert Glasper, Kamasi Washington e 9th Wonder veio satisfazer a vontade do público de juntar estes 4 nomes, que, individualmente, já são muito promissores.

de Cristina Rogeiro

O disco foi lançado 3 meses depois de “Dinner Party”, sendo uma alternativa aos mesmos temas, mas com mais colaborações. Herbie Hancock, Malaya ou Snoop Dog são alguns destes amigos que não vão ao jantar, mas aparecem no final para a sobremesa, dando um novo rumo a uma noite de fusão entre o jazz contemporâneo e o hip hop.


Se deixaram passar este disco em que, no meio de tantos artistas, não identificamos um protagonista, que esta nomeação seja um belo pretexto para conhecê-lo.


No mês passado, Lizzy Mcalpine, que deixou o curso de songwriting da Berklee College of Music, para se dedicar inteiramente à sua carreira artística, lançou os singles Doomsday” e “Erase Me, com Jacob Collier. A cantora ficou conhecida pelos seus excertos de composições originais no Instagram, que, depois, deram origem a um primeiro disco lançado como independente, que contou com alguns milhões de streams.


Lizzy regista em canções a vida de uma jovem adulta comum, através de um storytelling intrigante, um tanto dramático e, no entanto, apaixonante. Canta experiências vulgares de todos, mas de forma tão diferente, sensível e com tão bom gosto, que o seu sucesso era inevitável.


Para os que já seguiam esta cantora há algum tempo, é um orgulho grande ver a menina do Instagram a ganhar cada vez mais reconhecimento e passar por palcos como o do programa de Jimmy Fallon, visto por milhões de americanos e espetadores internacionais.