Hoje em Lisboa

"Há meses que o meu prédio está em obras, acordo incomodada porque o barulho não me deixa dormir.

Na hora de almoço na capital as obras calam-se e eu consigo ouvir-me a pensar novamente. Só assim valorizo o silêncio e a paz do Alentejo, lugar onde sempre vivi.


No outro dia, à mesa, perguntei ao meu avô se ele já alguma vez caçara, era do que se falava naquele momento. Ele responde «cacei seres humanos». Calei-me.


Hoje em Lisboa, quando ouço o ruído das obras calo-me e agradeço por viver num tempo e num país em que o que se ouve ao acordar são betoneiras e martelos pneumáticos e não tiros e bombas."


Fotografia e Texto de Madalena Ventura