Fita Curta - Um Documento à Realidade – O Poder do Documentário

A Fita Curta desta semana traz-nos o cinema documental. Entre as sugestões do Afonso encontramos Human, Minding the Gap, I Am Not Your Negro e David Attenborough: A Life On Our Planet


Seleção e texto de Afonso Abecasis



No mundo da "pós-verdade" de hoje, procurar e explorar fontes fidedignas sobre o que nos rodeia nunca foi tão crítico. Neste sentido, o filme documental torna-se a plataforma perfeita para criar um diálogo – uma ferramenta que traz para a mesa os assuntos e as ideias à nossa volta, que desperta a conversa ou promove movimentos.

Os documentários são também os rostos das histórias, a face mais humana e direta dos problemas que muitas vezes nos parecem distantes e irreconhecíveis. Ouvir e ver estas experiências ajuda-nos a colocarmo-nos no lugar dos outros, a sair da visão dum universo que não é só pleno e nosso.

O documentário é a construção visual duma empatia num mundo que desesperadamente precisa de alguma compaixão. O documentário é este mostrar das complexidades e nuances das diferentes pessoas que habitam esta terra. O documentário é, no fim do dia, o documento da realidade. Aquilo que permite gravar na eternidade os testemunhos da nossa História.



Os filmes desta semana...



Human (2015)

de Yann Arthus-Bertrand


O que nos torna humanos? É porque amamos, lutamos? Rimos ou choramos? É pela nossa curiosidade incessante? Partindo destas questões, o cineasta e artista Yann Arthus-Bertrand entrevistou e recolheu as histórias de vida de mais de 2000 mulheres e homens, espalhados por 60 países. O resultado são relatos íntimos, profundos e emocionais sobre os temas que nos unem a todos: a pobreza, a guerra, a discriminação, o nosso futuro, o amor, os desgostos e a felicidade.



Minding the Gap (2018)

de Bing Liu


Rockford, Illinois: “skate parks”, casas de amigos e a escola - os espaços urbanos do dia-a-dia onde o cimento é uma oportunidade para escapar e expressar. O que começa como uma celebração inocente do “skate”, termina num profundo testemunho da transição da juventude para a idade adulta. Bing Liu reúne uma montagem, ao lado de Kiere e Zach, para criar um filme verdadeiramente íntimo, onde surgem memórias reprimidas e pensamentos partilhados. Um cândido relato sobre a maturidade, onde ser adulto pode ser tão falível ou tão inocente como ser uma criança.



I Am Not Your Negro (2016)

de Raoul Peck


Baseado num manuscrito incompleto de James Baldwin - Remember This House – e narrado pelo ator Samuel L. Jackson, o que aqui vemos é uma janela pessoal e direta que explora a história do racismo nos Estados Unidos através das reminiscências de Baldwin acerca dos grandes líderes dos direitos civis Medgar Evers, Malcolm X e Martin Luther King Jr. O desabafo literário de alguém que olha para a história americana com ressentimento, frustração, esperança e desilusão.


David Attenborough: A Life On Our Planet (2020)

de Jonathan Hughes, Alastair Fothergill, Keih Scholey


A honestidade dum homem que, por mais de seis décadas, viajou pelo mundo e pela natureza. David Attenborough relata-nos as monumentais desgraças ambientais causadas pelo ser humano, colocando em plano central o maior desafio da história da humanidade: as alterações climáticas. Aqui somos capazes de nos sentir pequenos, insignificantes num universo que é capaz de mudar e seguir em frente sem nós – a não ser que mudemos.