Fita Curta - Solidão e Pandemia

A boa ficção é aquela que revela algumas peculiaridades da condição humana que ainda não conseguimos perceber. Destas peculiaridades, talvez a solidão seja a mais universal.

"Her", um filme de Spike Jonze

Seleção de Afonso Abecasis



Ficção: o nosso mecanismo para lidar com conflitos, raiva, solidão e tantas outras emoções que preferimos varrer para debaixo do tapete durante o dia. Pode ser a fuga para um lugar melhor ou a reflexão das nossas turbulências internas. A boa ficção é aquela que revela algumas peculiaridades da condição humana que ainda não conseguimos perceber. Destas peculiaridades, talvez a solidão seja a mais universal. Os filmes que tratam este tema movem-se a um ritmo lento. O que os torna tão agradáveis é que são, na essência, uma extensão dos sentimentos pelos quais todos nós já passámos algures nas nossas vidas. Há um conforto no reconhecimento de que somos todos suscetíveis à solidão...


Com uma pandemia mundial e a imposição de novos confinamentos, recaem sobre nós novas formas de solidão. E nestes tempos incertos, a ficção abre o espaço à imaginação - a lugares e ideias para lá das nossas quatro paredes.



Lost in Translation (2009)

Realizado por Sofia Coppola


A história de uma mulher perdida no Japão e nas suas convulsões internas e emocionais. As barreiras linguísticas e culturais abrem caminho a falhas de comunicação que se traduzem na solidão de Charlotte – remetida a um luxuoso quarto de hotel, numa cidade que ignora a sua existência. Isto até conhecer Bob, que lhe oferece um alívio temporário.




Her (2013)

Realizado por Spike Jonze


Her retrata a confusa direção deste mundo obcecado pela tecnologia, onde o consolo é encontrado mais frequentemente na tela de um ecrã do que em relações pessoais. Melódico numas partes, mas delicado noutras, Her é uma obra-prima duma previsão para o nosso futuro - do que poderá acontecer, e do que pode ser evitado.




Taxi Driver (1976)

Realizado por Martin Scorsese


Travis é um solitário, repleto de insónias, que conduz táxis à noite em vez de dormir. Paira pela sua vida, a tentar conquistar uma mulher – Betsy - e salvar a vida duma jovem prostituta que conhece pelo caminho. Taxi Driver é um preciso retrato da solidão em Nova Iorque e o tipo de fardo que assume na saúde mental duma pessoa.




Wild Strawberries (1957)

Realizado por Ingmar Bergman


Um dos primeiros filmes a ter-se aventurado num território pós-moderno, Wild Strawberries de Ingmar Bergman narra uma viagem pelas paisagens da Suécia, repleta de boleias e encontros esporádicos pelo caminho, que forçam o protagonista, Isak Borg, a questionar a sua mortalidade, a reexaminar a sua vida e o seu passado. Flores, frutos e algum existencialismo tornam este filme um dos mais venerados de Bergman.