Briefing Político #5

Os acontecimentos da semana que marcaram as agendas políticas nacional e internacional e que devem ser seguidos com atenção nos próximos tempos

Fotografia da Semana

Wojtek Radwanski/AFP

Manifestantes pedem a libertação do jornalista Roman Pratasevich durante um protesto em frente a um edífico da Comissão Europeia em Varsóvia.



Seleção do Departamento de Política do Crónico



#1 Bielorússia desvia avião com destino à Lituânia para deter jornalista ligado à oposição

Fonte: Político, 23 de Maio ; Observador, 23 de Maio


O regime de Alexander Lukashenko foi acusado de desviar para Minsk um avião que viajava para Vílnius (Lituânia), sob o pretexto de uma ameaça de bomba para deter um jornalista que tinha fugido para o estrangeiro.


De acordo com a informação, o desvio do avião que culminou com a detenção do jornalista e ativista Roman Protasevich foi uma operação dos serviços de segurança bielorrussos.

Protasevich foi responsável pelo canal Nexta, que se tornou o principal veículo de informações não-governamentais durante as primeiras semanas de protesto contra os resultados oficiais das últimas eleições presidenciais.


#2 Golpe de Estado ameaça transição democrática no Mali

Fonte: Euronews, 27 de Maio


O presidente interino Bah Ndaw e o primeiro-ministro Moctar Ouane foram presos e levados para uma base militar fora da capital na segunda-feira, provocando uma crise no país da África Ocidental.


As duas principais figuras do Estado maliano pediram demissão de seus cargos durante a detenção na quarta-feira, sendo entretanto libertados pelos militares.


Em comunicado, a comunidade internacional expressou profunda preocupação pela situação e reafirmou o firme apoio às autoridades de transição.

#3 União Europeia chega a acordo político sobre “certificado Covid”

Fonte: Euronews, 21 de Maio ; Euractiv, 25 de Maio


Após meses de discussão entre os Estados-membros e a Comissão Europeia, o certificado que facilitará as viagens dentro do território europeu fica pendente da aprovação do Parlamento Europeu.


O documento poderá ser pedido por quem foi vacinado, quem tem um teste negativo à Covid-19 ou por quem recuperou da doença e desenvolveu anticorpos, estimando-se a sua entrada em vigor no início de Julho.


Ao mesmo tempo, a Comissão compromete-se a mobilizar 100 milhões de euros do orçamento europeu para a compra de testes.



#4 Ministros das finanças europeus reuniram-se em Lisboa

Fonte: Público, 21 de Maio


O Eurogrupo reuniu-se em Lisboa para perspetivar o atual momento de retoma económica da zona euro.


De acordo com Paschal Donohoe, ministro irlandês que preside o Eurogrupo, “estamos perante uma recuperação que é muito diferente das perspectivas mais negativas que tínhamos no ano passado”.


Já o Comissário Europeu para a Economia, Paolo Gentiloti, revelou que é esperada uma recuperação na segunda metade do ano, após um período passado de assumida recessão técnica.

#5 Anunciada reunião entre Biden e Putin em Geneva

Fonte: SIC Notícias, 25 de Maio


Joe Biden e Vladimir Putin vão encontrar-se em Genebra no mês de junho. A reunião será a primeira de alto nível entre o presidente norte-americano e o líder russo.


A porta-voz da Casa Branca, em comunicado, adiantou que os dois líderes vão analisar "assuntos urgentes", ao mesmo tempo que procurarão encontrar soluções para "restaurar a previsibilidade e estabilidade" da relação entre os dois países.

#6 Presidente francês reconhece responsabilidade do país no genocídio do Ruanda

Fonte: France 24, 26 de Maio


Em visita ao país africano, Macron assumiu que França tinha “um papel, uma história e uma responsabilidade política” perante o cenário de guerra civil vivido pelo país africano em 1994.


No entanto, o presidente francês recusou-se a emitir um pedido de desculpas “oficial”, afirmando que não houve cumplicidade direta nos crimes.

Há 27 anos, cerca de 800 mil pessoas, incluindo tutsis e hutus moderados, foram assassinadas por milícias hutu em pouco mais de três meses.

#7 Os EUA exigem investigação 'transparente' da OMS sobre as origens da Covid

Fonte: BBC, 26 de Maio


O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, ordenou aos funcionários das agências de inteligência que "redobrem" os esforços para investigar as origens da covid-19, incluindo a teoria de que veio de um laboratório na China.


Biden pediu aos grupos que apresentassem um relatório dentro de 90 dias, de forma a concluir se o vírus surgiu “através do contacto humano com um animal infectado ou através de um acidente de laboratório”.


A China, através de um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros, rejeitou a teoria de criação do vírus em laboratório.