Bill Gates parece ter as respostas às perguntas mais desafiantes

Atualizado: Mar 2

Gates tem elevado a fasquia no que toca a filantropia com os inúmeros esforços e contributos que tem vindo a dar. Com o seu novo livro, How to avoid a climate disaster, lançado este mês, Gates partilha o que para ele são os passos importantes a tomar para evitar um desastre climático.

Fonte: Bloomberg

Crónica de Adriana Martins

Licenciada em Engenharia Mecânica, Imperial College London



Quem é este senhor? O famoso magnata, filantropo e bilionário William Henry Bill III vem de uma família de classe media de Seattle, América, onde nasceu e cresceu. Sem educação superior concluída, conseguiu desenvolver e fazer crescer uma que das maiores empresas de software da atualidade – a Microsoft. É quase impossível não associar Bill Gates à Microsoft depois de tamanho sucesso. Porém, desde o início do ano 2000 tem vindo a investir muito do seu tempo e dinheiro noutras áreas e sectores com o intuito de resolver os maiores problemas da atualidade. Gates tem elevado a fasquia no que toca a filantropia com os inúmeros esforços e contributos que tem vindo a dar. Contribuiu já com projetos e iniciativas para combater os níveis baixos de acesso a saneamento básico, vacinação e educação nos países em desenvolvimento. Tem vindo também a focar-se no tema do aquecimento global. Com o seu novo livro, How to avoid a climate disaster, lançado este mês, Gates partilha o que para ele são os passos importantes a tomar para evitar um desastre climático.


A história de Gates é sem dúvida inesperada e peculiar. Aprendeu a programar muito cedo. Aos 13 anos já tinha desenvolvido jogos simples de computador e no seu tempo de estudante básico, ajudou a escola a programar um sistema para a gestão dos horários de todos os alunos. Durante a sua juventude mostrou ser um leitor ávido e apaixonado de computadores, porém foi para Harvard com o intuito de prosseguir Direito e Matemática. Acabou por sair antes de conseguir receber o diploma com a oportunidade de começar uma start-up com um antigo colega. Esta start-up veio a chamar-se de Microsoft.




Bill Gates revolucionou a indústria do computador pessoal. O seu software/programa permitiu que todos os utilizadores (independentemente do conhecimento de programação) pudessem tirar partido do potencial destas novas máquinas da altura, de processamento rápido e com níveis de memória incríveis – o computador. A geração Millennium cresceu habituada a ecrãs intuitivos com interfaces gráficos apelativos e fáceis de usar, no entanto nem sempre foi assim. Os primeiros softwares desenvolvidos para o uso do computador pessoal eram pouco apelativos e até difíceis de navegar. O produto MS-DOS (lançado na década de 80) é um exemplo. A evolução do MS-DOS para a família dos produtos Windows da Microsoft demonstra o avanço e a contribuição de Gates para a ascensão e popularidade dos computadores pessoais.


Muitos são os rumores de que Gates se inspirou no conceito da Apple (na altura outra tech start-up) para melhorar e investir no interface gráfico do seu software, porém, a Microsoft conseguiu desenvolver um produto acessível e compatível com todo o tipo de computadores (ao contrário da Apple).


Durante o seu percurso como CEO da Microsoft, lançou também produtos como o Word, Excel e PowerPoint (adquirido por outra companhia) distribuídos como o conjunto de Office tools (ferramentas para o escritório), conhecido por todos, e que são usados diariamente pela esmagadora maioria das empresas e particulares. Os produtos da Microsoft estão embebidos na sociedade de uma maneira que poucos outros conseguiram. No entanto, Gates não se quis ficar por aqui, e começou a investir no seu trabalho como filantropo no início dos anos de 2000, afastando-se gradualmente da posição de CEO da Microsoft.


Onde há um problema, Gates parece estar sempre lá. Com o apoio da sua mulher, Melinda Gates, criou a Bill & Melinda Gates Foundation. Esta fundação tem vindo a financiar estudos para o desenvolvimento da vacina contra a sida e a vacinação em massa nos países em desenvolvimento (com a GAVI aliance), a contribuir para o acesso de educação nos países mais carenciados, a investir em infraestruturas para sem abrigos, entre muitas outras iniciativas. Um dos grandes objetivos da fundação é a erradicação da poliomielite por completo, e o combate à malária. Estas são doenças raras e praticamente erradicadas nas sociedades mais desenvolvidas, porém, continuam a ser uma realidade nos países mais pobres. A contribuição do casal para as causas humanitárias tem sido considerável. Gates tem vindo também a doar parte da sua riqueza pessoal ao nível de biliões, para as mais variadas causas. O pioneiro da revolução do computador pessoal tornou-se bilionário aos 31, chegando à posição de um dos homens mais ricos do mundo. O seu lugar no ranking dos mais ricos tem vindo a mudar, devido as inúmeras doações que Gates começou a fazer desde cedo na sua carreira. Na verdade, Gates comprometeu-se a doar a maior parte da sua riqueza a causas humanitárias com o The Giving Pledge. Fundado por si, Melinda e Warren Buffet, o The Giving Pledge tenciona incentivar outros bilionários a usar parte da sua riqueza para combater os problemas da atualidade. Muitos foram os que já assinaram também (entre eles encontramos Mark Zuckerberg, Ray Dalio, Harold Hamm, Brian Chesky, Richard Branson, Michael Bloomberg, Bill Ackmam).



O novo livro de Bill Gates

Há já muitos anos que Gates que tem estado ativo no setor das energias na procura da solução, ou conjunto de soluções, para combater o aquecimento global. Tem já expressado publicamente a sua preocupação na falta de investimento na pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias para o aproveitamento de energias limpas por parte do governo americano, pedindo que o orçamento para estas aumente. Gates acredita que para avanços neste sector a presença do governo é imprescindível. No entanto, não é por isso que não tem agido. Investiu já em tecnologias para a captura de dióxido de carbono do ar e fundou a TerraPower uma empresa que promete revolucionar a energia nuclear de fissão (explicada em artigo anterior). Neste mês de fevereiro, Gates lançou um novo livro, How to avoid a Climate Disaster. Neste livro Gates partilha já duas décadas de pesquisa que tem feito, numa narrativa simples e objetiva, quais ações que devemos tomar se realmente quisermos evitar o aquecimento global. Muitos foram os jornais que já conseguiram uma entrevista com o magnata, que partilhou os pontos mais importantes do seu livro e sensibilizou o publico para a gravidade da situação. O seu livro tem sido alvo de várias críticas, algumas pouco construtivas que lidas em isolamento podem induzir ideias incorretas a cerca do seu conteúdo, e por isso a leitura do livro na integra é recomendada.


Gates, hoje com 65 anos parece não ter desistido da humanidade. Depois da surpreendente previsão e alerta para uma possível pandemia, parece sensato ouvir as soluções que o seu livro propõe para o que poderá ser o maior desafio para o Homem.

PS: Leiam e sejam críticos.